O Boletim - Julho/2006 - ANO XLVIII - Nº 584

Baixe aqui a versão em PDF

• REFLEXÕES COM BEZERRA
• EDITORIAL
• LIVRO DO MÊS
• MOMENTO DE POESIA
• VULTO DO MÊS
• PÁGINA AO JOVEM
• NO MUNDO DO ESPERANTO
• LEMBRETE FRATERNO
• ATIVIDADES DO CENTRO
• PALAVRAS DE ALAN KARDEC
• NOTÍCIAS
• PENSAMENTOS QUE MERECEM MEDITAÇÃO
  



Bezerra convida-nos à reflexão

SER ESPÍRITA

 

 

 

Filhos, ser espírita é oportunidade de vivenciar o Evangelho em espírito e verdade.
O seguidor da Doutrina é alguém que caminha sobre o mundo, mais consciente de seus erros que de seus acertos. Por este motivo - pela impossibilidade de conformar os interesses do homem velho com os anseios do homem novo, ele quase sempre deduz que professar a fé espírita não é tarefa fácil.
Toda mudança de hábito, principalmente daquele que lhe esteja mais arraigado, impõe à criatura encarnada sacrifícios inomináveis. O rompimento com o "eu" é um parto laborioso, em que, não raro, sem experimentar inúmeras recaídas, o espírito não vem à luz ... O importante é que não vos deixeis desalentar. Recordai que, para o trabalho inicial do Evangelho, Jesus requisitou o concurso de doze homens. Talvez o problema maior para os companheiros de ideal que se permitem desanimar, ante as fragilidades morais que evidenciam, seja o fato de suporem ser o que ainda não o são.
Sem dúvida, os que vivem ignorando as próprias necessidades, aparentemente vivem em maior serenidade de quantos delas já tomaram consciência; não olvideis, contudo, que a aspiração do melhor é intrínseca à sua natureza - o homem sempre há de querer ser mais ...   Na condição, pois, de esclarecidos seguidores da Doutrina Espírita, nunca espereis vos acomodar, desfrutando da paz ilusória dos que não se aprofundam no conhecimento da Verdade que liberta.
         Onde estiverdes, estareis sempre inquietos pelo amanhã. A aflição que Jesus bem-aventurou é aquela que experimenta quem se põe a caminho e não descansa antes de concluir a jornada.

Filhos, apesar dos percalços externos e de vossos conflitos íntimos, aceitai no Espiritismo a vossa melhor chance de redenção espiritual, e isto desde o começo de vossas experiências reencarnatórias. Valorizai o ensejo bendito e não culpeis a Doutrina pelas vossas mazelas.

Bezerra de Menezes

(BACELLI, Carlos A.   A Coragem da Fé)

voltar ao topo


 


EDITORIAL

Há quatro anos atrás, um espírito redimido, exemplar, cumpria mais uma etapa de sua peregrinação por este nosso mundo.
Vinha de muitas vivências, vários desvios, múltiplos aprendizados... Voltava, em regozijo, para o encontro de seus inúmeros e consolidados amigos, estava feliz e compartilhava com eles essa alegria.
Era o Francisco Cândido Xavier, carinhosamente chamado Chico Xavier.
Aqui, neste editorial, acabamos de falar, em poucas linhas, de assuntos que há alguns anos eram totalmente proibidos e condenados...
Falamos de reencarnação, vida após a morte, consciência espiritual, encontros na dimensão espiritual, conceitos que nos foram ofertados pela missionária existência de Allan Kardec e atualmente são estudados livremente, graças ao idealismo de nomes que honraram suas existências e deram sentido e identidade ao conceito de liberdade e expressão religiosa.
Papel importante nesse processo de esclarecimento, que levou ao direito constitucional de liberdade de culto, teve o heróico ponto de reunião doutrinária que é a Casa Espírita, onde o Espiritismo é estudado sob a luz racional irradiada dos Livros Básicos, dando coesão a tudo o que se aprende e se pratica.
A base do trabalho realizado pelo Chico foi estruturada nos alicerces da Casa Espírita e quantas dores não foram aliviadas, quantas respostas, nas memoráveis reuniões que atravessavam as madrugadas da cidade de Pedro Leopoldo.
Assim também é a nossa Casa de Bezerra, seguindo as diretrizes doutrinárias, abrindo as portas para quem vier à procura de uma palavra amiga e consoladora, procurando continuar o trabalho de queridos precursores.

Esteja conosco, participe, seja um continuador dedicado da obra de tantos amigos.

voltar ao topo


 

MOMENTO DE POESIA

ALMA  LIVRE

Um soluço divinode alegria
percorre a todo Espírito liberto
das pesadas cadeias do deserto,
desse mundo de sombra e de agonia.

Alma livre contempla o novo dia,
longe das dores do passado incerto, mergulhada no esplêndido concerto
de outros mundos, que a luz acaricia!

Alma liberta, redimida e pura,
Vê a aurora depois da noite escura,  numa visão mirífica, superna ...
 
Penetra o mundo da imortalidade,
entre canções de luz e liberdade,

forçando as portas da Beleza Eterna.

Cruz  e  Souza

(Parnaso de Além Túmulo. 14.ed. Rio de Janeiro:  FEB,  1994)

   

voltar ao topo


 

 

LIVRO DO MÊS

Crônicas de Além Túmulo

XAVIER, Francisco C.  Crônicas de Além Túmulo. Pelo Espírito Humberto de Campos. 5.ed. Rio de Janeiro, RJ: FEB. 2004.

Convidamos o amigo leitor à leitura dessa obra que se propõe, segundo o seu autor espiritual, a “cooperar com o dia-a-dia de pelo menos um irmão de luta humana. O que queremos é ser o companheiro de tantos corações queridos  em cada dia, perante vários desafios que às vezes sufocam, outras vezes inquietam a alma humana no seu cotidiano nas estradas do mundo.”

AMIGO LEITOR Lembre-se: O livro espírita merece nosso respeito, apreço e dedicação. Divulgue-o, ampla e abundantemente, pois este é o natural dever dos que com ele já aprenderam a importância de amar e a necessidade de servir.    

    
Instruções Psicofônicas  


voltar ao topo


 

VULTO DO ESPIRITISMO

João  Maria  Vianney, O  Cura  d’Ars

 
 

João Maria Vianney nasceu em 8 de maio de 1786, em Dardilly. Desde os quatro anos, ele gostava de freqüentar a Igreja. Aprendeu a ler, escrever, contar e falar francês. Foi na escola que se tornou amigo do padre Fournier, e aos poucos foi crescendo nele o desejo de se tornar sacerdote. Aos 20 anos, seguiu para Ecully. Além de aprimorar a língua pátria, precisou aprender latim. Aos 25 anos de idade, na condição de clérigo, foi-lhe confiada a paróquia de Ars-en-Dombes.

 


Em Ars, não havia pobres, só miseráveis. Conta-se que lá encontrou um pequeno pastor a quem pediu que lhe indicasse o caminho. A tradição narra que o novo pároco teria dito ao garoto: Tu me mostraste o caminho de Ars: eu te mostrarei o caminho do céu.”  Comia pouco. Dizia: “Tenho um bom físico. Depois de comer não importa o quê e de dormir duas horas, estou pronto para recomeçar.” O que mais ele valorizava eram a caridade e a gentileza. Por volta de 1830, era muito grande o afluxo de pessoas que se dirigia a Ars para poder confessar-se com ele. Quando se punha a ouvir os que o buscavam, mais de uma vez derramava lágrimas como se estivesse chorando por si próprio. Dizia: “Eu choro o que vocês não choram.” No dia 4de agosto de 1859 ele desencarnou tranqüilamente. Dois dias antes, já bastante debilitado, fora visto a chorar. Perguntaram-lhe se estava muito cansado.“Oh, não”, respondeu. “Choro pensando na grande bondade de Nosso Senhor em vir visitar-nos nos últimos momentos.” João Maria Vianney comparece com uma mensagem em O Evangelho Segundo o Espiritismo (capítulo VIII:20), intitulada “Bem-aventurados os que têm fechados os olhos”, onde demonstra a humildade de que se revestia, o conceito que tinha das dores sobre a face da Terra.

 

(Texto completo em Expoentes da Codificação Espírita. Curitiba, PR: Federação Espírita do Paraná, 2002. p.169 - 171).

voltar ao topo


 

LEMBRETE FRATERNO

Reflexões sobre a Pátria do Evangelho

 
 

“- Helil, disse a voz suave e meiga do Mestre, meu coração se enche de profunda amargura, vendo a incompreensão dos homens, no que se refere às lições do meu Evangelho.”
(Humberto de Campos -Espírito - Brasil, Coração do Mundo, Pátria do Evangelho)

O lamento do Messias referia-se ao quadro doloroso que o planeta refletia no final do século XIV.
Ainda havia no ar, o impacto das atrocidades cometidas durante as cruzadas, as sombras da Idade Média escondiam paixões e interesses, erroneamente chamados de cristãos, mas que melhor se identificavam com a pobreza espiritual que dominava os egoístas líderes da humanidade.
O Evangelho servia a tantos interesses menores, era tão manipulado, que Jesus expressou a sua preocupação de uma maneira muito triste, comovendo a todos os que O acompanhavam em sua visita à Terra, segundo nos relata o cronista Humberto de Campos, pela psicografia de Chico Xavier na obra já citada.
Helil comoveu-se, prontamente sugerindo ao Nazareno que olhasse para as terras de além oceano, onde poderiam prosperar os espíritos que não estivessem comprometidos com as carcomidas estruturas européias.
Foi assim que Jesus visitou as terras do Novo Mundo, emocionado, e procurou com atenção o local onde se fixou o símbolo da redenção humana, que Helil apontou como sendo a região do Brasil.
Naquele momento, o milagre da vontade transformou-se em realidade, tendo sido iniciados todos os procedimentos, na dimensão espiritual, segundo ainda nos relata Humberto de Campos, para que os fatos políticos, a ordem social nos paises europeus, os conhecimentos técnicos, a vontade, o espírito de aventura, tudo obedecesse ao impulso do Divino Companheiro e permitisse que se concretizasse a grande aventura para o oeste do planeta.
É certo que o  Brasil não foi descoberto por acaso.
Nem poderia ser, pois um dos princípios básicos que o Espiritismo nos ensina é de que nada acontece por acaso... O projeto definiu que a Pátria do Evangelho não seria a continuação de civilizações culturalmente adiantadas e moralmente carentes, de líderes pseudoliberais sem fraternidade e amor.
Na busca do equilíbrio, o povo brasileiro formou-se a partir do encontro de múltiplas raças, vindas de todo o mundo, tangidas pelo chamado da espiritualidade, gerando a “raça brasileira”, nova, limpa, herdando a cultura européia, mas criando, do melhor de suas raízes, uma alma nova, apta a entender os valores do espírito, essenciais ao desafio de se construir um mundo melhor.

  O projeto ainda está em curso. Temos dificuldades, estamos envolvidos com tantos problemas sociais, com a pobreza, com a corrupção, com tantos interesses menores, o egoísmo, a violência... Podemos achar que o coração do mundo parou de pulsar e que a pátria não é mais do Evangelho !
Mas não é assim. O momento brasileiro tem sido de ajuste, nossa maioria é pacifica e procura sempre melhorar, é amiga, gentil e fraterna; pobreza e riqueza são etapas evolutivas, segundo nos ensina Kardec.
Somos tolerantes, somos uma raça nova, solidária e Deus está em nossos corações.
Olhemos bem para dentro deste país, o coração não está pulsando? A pátria não é cristã e gentil?
Esta será sempre a pátria do Evangelho, assim já era desde o final do século XIV e cada vez mais o será. Preciso se faz apenas que controlemos nossa ansiedade e confiemos no futuro. Só temos 506 anos de história, ainda estamos nos preparando para outros tantos 500. Confiemos no Pai.

Assaruhy Franco de Moraes

voltar ao topo



PÁGINA AO JOVEM

 
   

União - Humildade - Caridade

União — é fraternidade
Humildade — é renúncia
Caridade — é amor

Somente com fraternidade legítima é possível reunir corações em derredor  do Cristo.
Somente com amor exemplificado iluminaremos nosso caminho para Deus.

Realizaremos a União pelo esforço próprio do Trabalho.

Alcançaremos a Humildade — através de fervorosa solidariedade.

Edificaremos Caridade —  revelando a luminosa Tolerância.

Meus jovens amigos: sejamos operosos na fraternidade, uns para com os outros, solidários na luta e no ideal do bem, tolerantes no serviço que fomos chamados a concretizar.

Emmanuel  

(Cartas do Coração. P. 60)

CARIDADE com os outros é dar o que retemos. CARIDADE conosco é dar de nós. (Emmanuel)

 

voltar ao topo


 

NO MUNDO DO ESPERANTO

“La paco de Jesuo estu en la koroj de niaj karaj gefratoj”

A ESTRELA DO ESPERANTO

 

 

 

É uma estrela verde de 5 pontas, tendo no centro a letra e branca. Ela iluminará teu caminho e guiará tua mente para  o conhecimento da emoção humana em toda parte. Brilhará em torno de teus passos, levando a esperança aos corações.
     Verás um mundo diferente, acalentando  no santuário da alma a palavra divina de uma só forma.
     Faze brilhar a tua estrela!
     Ela possui a cor esmeraldina, revelando a preciosidade de seu teor. Irradia felicidade, une  os povos, desfaz desentendimentos, esclarece os loucos, afasta as trevas do orgulho, do egoísmo e da ambição.
     Pesquisando  os tempos que se foram, encontrarás a luz de sua  origem divina, acalentando a Terra e prometendo a bênção da união para os  homens.
     Com ela as trocas mercantis serão facilitadas; as mensagens melhor aprendidas. Nos continentes será ouvida uma voz doce e pura conclamando a humanidade ao fraternal abraço.
     Faze brilhar a tua estrela!
     Se tens o Esperanto no coração, adquiriste a Esperança como estrela, como bênção, como luz, como elo fraterno.
     Escuta seu cântico de triunfo, que ressoa, exaltando em hino a fraternidade universal. Conhecerás, então, o fulgor de tamanha bênção descida à Terra, para elevar-te ao  céu.
     EVANGELHO É AMOR.
     ESPIRITISMO É AMOR
     ESPERANTO É AMOR.
     Eis porque o Esperanto segue de perto a Doutrina do Mestre e fortalece o Espírito no verdadeiro amor fraterno.
     Perdoa sempre e cultiva a humildade.
     Faze brilhar a tua estrela!
    O Evangelho, à luz da Doutrina Espírita, erguer-te-á, com o Esperanto, aos mais grandiosos cimos. E, na Terra, contemplarás a verdadeira paz e sentirás o divino amor congregando os homens num só rebanho, sob a égide do sublime pastor!

     Faze brilhar a tua estrela!     

Ismael Gomes Braga  

(PAIVA, Maria Cecília Paiva. Garimpeiros do Além )

voltar ao topo


 

PENSAMENTOS QUE MERECEM MEDITAÇÃO

SEMPRE É BOM LEMBRAR

A lição das Abelhas

Copiando as abelhas operosas, aproveitemos os dons do dia e das flores, no fabrico do mel sublime e da fraternidade. O dia é sempre a hora em que nos movimentamos e as flores são as criaturas de Deus que nos cercam, em todas as direções.

Busquemos em cada uma os elementos mais valiosos e mais puros a fim de que nossa obra comum não se envenene e que a noção do trabalho com Jesus seja o pensamento orientador da nossa vida.

Nina Arueira   

. XAVIER, Francisco C. Cartas do Coração. 3.ed. São Paulo, SP: LAKE, 1999. p. 72-3

voltar ao topo



 

   

voltar ao topo



 


Palavras de ALLAN KARDEC

ENTREVISTANDO ALLAN KARDEC

 

Pergunta: A que o Senhor atribui a rápida expansão das idéias espíritas?

O Espiritismo não tem nacionalidade e não parte de nenhum culto existente; nenhuma classe social o impõe, visto que qualquer pessoa pode receber instruções de seus parentes e amigos de além-túmulo. Cumpre seja assim, para que ele possa conduzir todos os homens à fraternidade. Se não se mantivesse em terreno neutro, alimentaria as dissensões, em vez de apaziguá-las. Nessa universalidade do ensino dos Espíritos reside a força do Espiritismo e, também, a causa de sua  rápida propagação. (...) Se o Espiritismo, portanto, é uma verdade, não teme o malquerer dos homens, nem as revoluções morais, nem as subversões físicas do globo, porque nada disso pode atingir os Espíritos.”  ( LE- Introdução II )

( SHUBERT, Suely Caldas. Entrevistando  Allan Kardec. Rio de Janeiro: FEB. 2004. p. 41 )

voltar ao topo



NOTÍCIAS

 - DA RÁDIO  RIO  DE  JANEIRO 1400 KHz AM

Novo SITE, totalmente reformulado, mais moderno e interativo - www.radioriodejaneiro.am.br

- DO 12º Conselho Espírita de Unificação - CEERJ

EVENTOS

16/07 Projeto  CEIFA DE LUZ Módulo III
15::00 às 19:00. 
Local:   Associação Espírita Rita de   Cássia - Rua Gastão Penalva 31 ( Andaraí ) 

30/07  Seminário sobre o ESDE
TEMA  — ESDE:  Um olhar para o futuro. Coordenação: Álvaro Chrispino. 15:00 às 18:00
Local: Sociedade Espírita Jorge— Rua Luís Barbosa 36 (Vila Isabel)

 - DE DIVALDO FRANCO NO RIO DE JANEIRO

Roteiro das palestras = 2006

29/07 –  Sábado -   18:00 –  Tamoio Esporte Clube - Av. Nilo Peçanha, 153 – Cabo Frio / RJ
30/07 –  Dom –  16:00 –  Federação Espírita Brasileira - Av. Passos, 30 – Centro –Rio de Janeiro/RJ
31/07 -  Seg –  20:00 – Sociedade Hebráica –Rua das Laranjeiras, 346 – Laranjeiras / RJ
01/08 -  Ter - 20:00 -  Movimento Você e a Paz – Clube Mauá - Av. Presidente Kennedy, 635 – São Gonçalo / RJ
02/08 – Qua - 14:00 -  Casa de Espanha  - Seminário (Esgotado) Rua Vitório da Costa, 254 – Humaitá / RJ
03/08 – Qui -    20:00 -  Grupo Espírita  André Luiz - Rua Jiquibá, 139 – Praça da Bandeira
04/08 - Sex - 20:00 – Concha Acústica da UERJ
Rua S. Francisco Xavier, 524 - Maracanã
05/08 -  Sab -  16:00 -  Ginásio Polivalente da Ilha de São João - Volta Redonda / RJ
06/08 -  Dom – das 9:00 às 17:00 – Feirão pró Mansão -Colégio Militar – Rua São Francisco Xavier,  Tijuca

 - DO CEBM

• Visite o nosso site: www.bezerramenezes.org.br. Assim, poderá ter o Centro em seu lar durante 24 horas. Apresente sugestões para que possamos melhor direcioná-lo a você. Cadastre-se para receber O BOLETIM on-line.

• O DEPARTAMENTO DE DIVULGAÇÃO dispõe, para empréstimo, de fitas de áudio e vídeo, com temas doutrinários. Possui uma biblioteca com mais de 1100 títulos à sua disposição. Procure um dos nossos plantonistas.
“Com o bom livro, caminhamos na direção do futuro e recebemos da Divina Imortalidade
a nossa gloriosa destinação de filhos da Luz.” (Emmanuel)

• As reuniões de Educação Espírita da Infância, Juventude e Família já se iniciaram, aos sábados, de 14:30 às 17:00. As inscrições estão abertas.

• Inscreva-se nos Grupos de Estudo que o Centro oferece. Informe-se na Secretaria.

• Consulte a programação dos estudos doutrinários. Sua presença às reuniões é aguardada com alegria.

• Prezado irmão associado: Coopere com nossa Casa mantendo em dia suas mensalidades. Delas dependem nossas tarefas assistenciais e de manutenção dos prédios.

• CAMPANHA DE NOVOS ASSOCIADOS - Para concretizarmos os novos projetos, precisamos aumentar o quadro de associados cooperadores, corações generosos que se unam a nós, participando das despesas de manutenção e conser-vação dos prédios. “Ajudar é honra que nos compete.” Contamos com você.


 
   

 

voltar ao topo


 

ATIVIDADES DO CENTRO

18:50/20:15 – Reunião de Estudo e Educação da Mediunidade ( privativa)
18:30/20:00 – Reunião de Atendimento  Espiritual (privativa)
...............................................................................................

13:45/15:00 – Reunião de Atendimento Espiritual (privativa)
14:30/15:00 – Diálogo Fraterno
15:00/16:30 – Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
16:30/17:00 – Diálogo Fraterno
16:30/18:00 – Grupo de Estudo: Introdução à Doutrina Espírita * O Livro dos Espíritos
                    – Grupo de Estudo: * O Livro dos Médiuns
...............................................................................................

08:00/08:30 – Encontro de Oração
08:30/09:00 –  Diálogo Fraterno 
15:00/17:00 – Artesanato
19:00/20:30 – Grupos de Estudo

  • Introdução à Doutrina Espírita
  • Básicos da Mediunidade
  • Estudos do Evangelho
...............................................................................................

15:00/16:30   –  Estudo  da Doutrina Espírita em Esperanto
16:30/18:00   –  Esperanto: Curso Básico
18:30/19:00   –  Diálogo Fraterno
19:00/20:30   –  Reunião  de Estudos Doutrinários (pública)
...............................................................................................

08:00/08:30  - Encontro de Oração
18:45/20:00 - Reunião de Atendimento à Distância (privativa)
.................................................................................................

15:00/17:00 - Educação Espírita da Infância
15:00/17:00 - Educação Espírita da Juventude
15:00/17:00 - Educação Espírita da Família
15:00/17:00 - Grupo de Estudos Espíritas
17:30/19:30 - Grupo de Estudos Espíritas
.................................................................................................

10:00/11:30 - Reunião de Estudos Doutrinários (pública)
13:45/16:30 - Caravana - Visita ao Instituto Miguel Pedro ( mensal - no 3º domingo)
13:00/18:00 - Caravana - Visita ao Centro Espírita Filhos de Deus ( mensal - no 4º domingo)

 

voltar ao topo



 

Centro Espírita Bezerra de Menezes © 1912 - 2006. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Rafael Santos